QUINTOS do INFERNO

10/01/2022 07:32

 

INDEPENDÊNCIA dos “QUINTOS do INFERNO” .

 O “DIA do FICO”,  como do GRITO do IPIRANGA”,  escondem  o verdadeiro sentido da insatisfação econômica brasileira  com os impostos coloniais.

  PORTUGAL impunha e cobrava "UM QUINTO" da tudo o que a sua colônia produzia. Não concedia nada em troca, além da CONSTRUÇÃO de um ROSÁRIO DE FORTES. Estas FORTALEZAS garantiam e reforçavam o isolamento mundial do BRASIL   para ninguém meter o seu nariz ou olho no interior do seu NINHO dos OVOS de OURO dos seus "QUINTOS"... MUNICIAVAM estes FORTES e PAGAVAN o soldo de suas GUARNIÇÕES  cujos oficiais deveriam ter nascido em PORTUGAL

 Em 1822, os atingidos pelos impostos dos “QUINTOS”, atacavam pela EMOÇÂO, pelo SIMBÓLICO de EGOS ROMÂNTICOS na busca de uma LIBERDADE LÌRICA e outro tipo de EXPANSÂO SOCIAL.

 Valiam-se da irresistível arma industrial da IMPRENSA impregnada por estas emoções líricas e pela motivações facilmente assimiladas por um amplo publico letrado ou não. Público com profundos rancores com um sistema na qual haviam vivido e sendo espoliados e reprimidos ao longo de 300 anos.

Agiram em plena vaga da EMOÇAO e dos SENTIMENTOS e das REVOLUÇÔES AMERICANAS e FRANCESAS a reinterpretadas pelas REVOLUÇÕES LIBERAIS, ao seu modo e interesses.. 

Na COLONIA BRASILEIRA, GUARNECIDA MILITARMENTE, ninguém queria ser acusado do crime de “LESA MAJESTADE” ao se negar pagar os obscenos “QUINTOS do INFERNO”, As severas, exemplares e sangrentas repressões  praticadas, durante um século, conta FELIPE dos SANTOS (1720), contra Inconfidência Mineira (1792) , a Revolta dos Alfaiates (1798) e a Revolução do Recife (1817) e em  28 de outubro de 1817 o  General GOMES FREIRE de ANDRADE enforcado, esquartejado, queimado e suas cinzas jogadas ao mar.  faziam pensar duas vezes antes de qualquer palavra ou gesto de independência econômica, politica e muito menos militar.

Num contexto geral da HISTÒRIA HUMANA esta CONCENTRAÇÃO - do PODER ECONÔMICO e POLÍTICO - sempre criou monstruosidade como  a de LISBOA COLONIAL No BRASIL esta CONCENTRAÇÃO reproduziu-se em SALVADOR, no RIO de JANEIRO e que está sendo drenada  para o PLANALTO CENTRAL e mantida e garantida pela INFORMATICA da ÈPOCA PÓS-INDUSTRIAL.

 

REVOLTA de FELIPE dos SANTOS

https://www.infoescola.com/historia/revolta-de-filipe-dos-santos/

 

REVOLUÇÂO PERNAMBUCANA de 1817 NÃO FOI NO GRITO postagem nº 151

https://naofoinogrito.blogspot.com.br/2017/05/155-nao-foi-no-grito.html

 

General GOMES FREIRE de ANDRADE enforcado, esquartejado, queimado e suas cinzas jogadas ao mar no dia 28 de outubro de 1817   – NÃO FOI NO GRITO postagem nº 172

https://naofoinogrito.blogspot.com/2018/09/172-nao-foi-no-grito.html

 

O PRINCIPE DOM PEDRO e o Sossego Fluminense

https://www.multirio.rj.gov.br/historia/modulo02/dpedro.html

09 de JANEIRO de 1822 e o “DIA DI FICO”.

https://www.multirio.rj.gov.br/historia/modulo02/lojas_maconicas.html

 

Imagem  “QNNTOS do INFERNO

https://virusdaarte.net/va-pros-quintos-do-inferno/

 

FACE BOOK

https://www.facebook.com/photo/?fbid=1326829957766153&set=a.705103509938804

 

 

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode