PODER que ANIQUILA a FALA

12/09/2016 07:05

PODER que ANIQUILA a FALA.  

 

O SILÊNCIO É CORRUPTO, CORROMPIDO e CORRUPTOR QUANDO IMOSTO por um PODER que se quer SURDO, CEGO e MUDO.

Os trezentos anos de SILÊNCIO COLONIAL do PODER ORIGINÀRIO deixaram marcas indeléveis na CULTURA, na ARTE e na CIVILIZAÇÂO ECONÔMICA, POLITICA e SOCIAL BRASILEIRA. As raras e atrevidas vozes de um Vieira ou de um Gregório de Matos clama nu fundo deste abismo e continuam a advertir sobre os prejuízos deste tipo de SILÊNCIO. Silêncio submisso aos cochilos do NIHIL OPSTAT  de uma INQUISIÇÂO onipresente e sorrateira.

Só os vivos falam e se comunicam entre si. Nesta comunicação constroem o seu pertencimento, partilham a riqueza do seu pensamento.   

 A AUTONOMIA do FALANTE é condição indispensável para que o seu SILÊNCIO seja OURO e  a FALA seja PRATA.

O patrulhamento da língua significa imposição de um PODER EXTERNO e ALHEIO, a ruptura da ordem natural e que impõe o colonialismo ea  escravidão.

 

Imagem:: cartaz de MAIO de 1968 da FRANÇA

SEJA JOVEM: CALA-SE”.

FACEBOOK

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10202572045779803&set=a.3584675712991.1073741826.1756223351&type=3&theater

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode