O EU PERDE SENTIDO

06/05/2014 05:42

O EU PERDE SENTIDO

O EU do romantismo foi uma habilidosa e contraditória construção de mediadores, de atravessadores e de pseudo tuteladores. Construção destinada a vender os produtos massificados da nova era industrial para este EU romantizado. Produtos cada vez mais impessoais, prontos para circular em amplos circuitos mundiais e acima de qualquer cultura, tradição e hábito local. A guilhotina, os armamentos e os teares eram produtos industriais em séries impessoais. Os mediadores, atravessadores e pseudo tuteladores precisavam fazer aos olhos deste EU acreditar do contrário. Incrementaram o EU romantizado e personalizado por todos os meios para escamotear estes produtos das máquinas.

 Cultura do EU do único, genial e divino que se batia contra o socialismo, a democracia e contra todas as formas e ideologias que colocavam a criatura humana na esteira das linhas de produção industrial. Contudo o EU romantizado e personalizado como as massas humanas impessoais  eram construções humanas artificiais e que desmoronavam no ar por mais sólido e fundamentados que aparentasse ser.

https://desmanchanoar.blogspot.com.br/2012/10/aprendi-nao-tentar-convencer-ninguem.html

 https://www.tdah-reconstruindoavida.com.br/2011_09_01_archive.html
Todo homem que se vende recebe muito mais do que vale.” 
Barão de Itararé -

https://kdfrases.com/frase/120839

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode