AGIR sem FAZER BESTEIRA.

05/01/2014 07:22

 

Desde os seus primórdios a criatura humana luta com o desafio de manter um contínuo psicológico, emocional, afetivo do seu passado com presente. Ao mesmo tempo busca projetar a torrente da sua vida, do aqui e agora, para o tempo que se supõe que seja o seu futuro. Nesta luta a espécie  impõe-se o  AGIR sem AGIR como um dos recursos universais em todos os lugares e tempos. Esta contradição é denominada,  pela criatura humana, como RAZÃO, REGRESSÃO à sua origem, SUSPENSÃO de JUIZO (epochè em grego clássico), RITUAIS coletivos ou pessoais ou de ARTE. Neste AGIR e SEM AGIR confronto silencioso de ANTONIONI com  o MOISES de MIGUEL ÂNGELO ganha todo o seu sentido. Esta dimensão ganha dimensões universais  quando este “AGIR e SEM AGIR” contraposto ao “FAZER pelo FAZER”. Este AGIR sem AGIR é essencial para o PODER ORIGINÀRIO distinguir qual é fonte do seu próprio potencial daquele que os atravessadores, mediadores e tuteladores querem lhe impingir. Cair nas sua heteronomia seria FAZER BESTEIRA

 

Um DIALOGO SILENCIOSO  entre a OBRA de MIGUEL ÂNGELO (1475-1564) e  MIGUELÂNGELO ANTONIONI (1912-2007)

https://www.youtube.com/watch?v=6A5bVWwu-qQ

 

O AGIR sem AGIR

https://pt.wikipedia.org/wiki/Wu_wei

 

FAZER BESTEIRA POLIGLOTA
https://www.linguee.com.br/portugues-ingles/traducao/fazer+besteira.html

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode