A VIOLÊNCIA do ESTADO

23/04/2017 06:57

A VIOLÊNCIA do ESTADO e a OPERAÇÃO LAVA JATO.

 

Toda a civilização é uma CONSTRUÇÂO HUMANA, ARTIFICIAL  e SUJEITA Á ERROS, ACERTOS e à ENTROPIA.

Esta CONSTRUÇÂO ARTIFICIAL é COMANDADA por CONTRATOS explícitos, implícitos ou impostos desde as CIVILIZAÇÔES MAIS REMOTAS até as MAIS ATUAIS.

Um dos contratos básicos de todas as civilizações tem por objeto EXERCÌCIO da VIOLÊNCIA. No plano ideal o cidadão avulso abdica, a favor do seu ESTADO,  do EXERCÌCIO da VIOLÊNCIA com suas próprias mão e meios.

Nos sistemas civilizatórios primitivos este EXERCÍCIO da VIOLÊNCIA, PELO ESTADO, estava nas mãos do FARAÓ, do PARTIDO ou da  IDEOLOGIA que tomaram POSSE das FUNÇÔES e dos APARELHOS do ESTADO.

Nas CIVILIZAÇÕES MAIS ATUAIS este PODER MONOCRATICO - do SUJEITO ÚNICO da IDEOLOGIA ou PARTIDO – se estabeleceu sobre o tripé do LEGISLATIVO, EXECUTIVO e JUDICIÃRIO.

Os problemas iniciam quando o LEGISLATIVO é OMISSO, busca a PROCRASTINAÇÂO e INTERESSES ESCUSOS em vez de assumir o papel aversivo de uma legislação unívoca e linear do EXERCÌCIO da VIOLÊNCIA pelo ESTADO. LEGISLAÇÂO que permite CONTRATOS HONESTOS DURÁVEIS e CONSEQUENTES. De outa parte o EXECUTIVO se esquiva, de todos os modos, do USO DOS APARELHOS AVERSIVOS que o LEGISLATIVO LHE ALCANÇA. EXECUTIVO que busca todos os meios para AGRADAR, INCLUIR e GARANTIR VOTOS FAVORÀVEIS para a PERMANÊNCIA de POSSE dos CARGOS pelo maior TEMPO POSSIVEL. Este POPULISMO, PROCRASTINAÇÔES dos dois outros PODERES do ESTADO soterra e sufoca o JUDICIÀRIO com gincanas sem sem fim e sem resultados justos no EXERCÌCIO da VIOLÊNCIA pelo ESTADO.

O resultado é constituído por infinitas SOCIEDADES PARALELAS que arbitram do EXERCÌCIO da VIOLÊNCIA da forma mais primitiva, cruel e unilateral.

Se de um lado o populismo aplaude, quer e entende a OPERAÇÂO LAVA JATO como necessária e oportuna devido aos flagrantes desvios que aponta.  De outro há necessidade de questionar,  neste EXERCÌCIO da VIOLÊNCIA, a objetiva e linear aprovação pelo PODER LEGISLATIVO. O grande perigo de que o EXECUTIVO a transforme num instrumento de POLULISMO e o JUDICIARIO SEJA ATROPELADO e desqualificado por esta OPERAÇAO transformando em puro e singelo linchamento moral, político e econômico da infeliz vitima de um sistema cego, mudo e surdo.

No contraditório os egípcios sabiam e já praticavam um PROJETO CIVILIZATÒRIO (cajado) COMPENSADOR da VIOLÊNCIA (flagelo) que o contrato com nacional conferia aos seus faraós monocráticos. 

Todas as civilizações que não entenderam e não praticavam esta homeostase entre estímulo (cajado) e castigo (flagelo) engolfados na violência cometendo o equívoco de Napoleão Bonaparte que foi advertido por Charles Maurice de TALLEYRAND-PERIGORD  (1754-1838) de que com  “com as baionetas é possível fazer tudo, menos ficar sentado sobre as suas pontas” . Assim com a OPERAÇÂO LAVA JATO é POSSIVEL fazer TUDO menos ficar sentido e querer mandar sentado sobre o JATO.

Um dos melhores estímulos, mais duradouros e universais é a pratica da arte. Mesmo que esta ARTE seja a construção de pirâmides como fizeram os maias e os egípcios.

FACEBOOK

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203561517515978&set=a.3584675712991.1073741826.1756223351&type=3&theater

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode