QUERER COLETIVO

18/04/2015 07:19

QUERER ALGO COLETIVAMENTE.

 

A individualização e a atomização de interesses enfraquece o potencial de grupo humano forte e coerente

Um  grupo se fortalece e possui maiores chances de êxito do que indivíduos isolado quando consegue perceber claramente um objetivo comum a todos os seus integrantes e os meios para realizar este mesmo QUERER COLETIVO.

Evidente que este objetivo e os meios deste QUERER COLETIVO não dispensam  serem legítimos e moralmente defensáveis ANTES, DURANTE e APÒS qualquer AÇÂO COLETIVA.

A dialética permanente - entre polos opostos de raciocínio, vontade e sentimentos – supõe afastar o perigo de gerar um NÒS COLETIVIZANTE. A redução forçada do EU e do TU em um NÒS por meio de um TIPO HUMANO PADRÃO uniformizador e soberano põe a todos e a tudo em grande perigo e num equivoco avassalador.  O QUERER ALGO COLETIVAMENTE supõe apenas a  possibilidade de transformar as CONTRADIÇÔES do EU e do TU em COMPLEMENTARIEDADES. COMPLEMENTARIEDADES nas quais se preservam as energias opostas do EU e do TU num trabalho num mesmo projeto preservando aidentidade e autonomia de cada um.

.

CONTRAPODER

http://www.diarioconcepcion.cl/2015/04/15/#3/z

 

CENTRALISMO:

Chile é o pais mais centralista da América do Sul

http://www.diarioconcepcion.cl/2015/04/15/#4/z

 

ANGOLA:

etnografia 1934 na ótica do colonizador lusitano e francês

http://bcea.iscte.pt/en/2013/12/etnografia-angolana-fernando-mouta-1934/

 

http://www.contreeslointaines.fr/revues-magazines/africa-la-figura-imaginada-le-musee-imaginaire-des-galeristes/

 

PERIGO do CENTRALISMO do QUERER COLETIVO UNIFICADOR

http://profciriosimon.blogspot.com.br/2014/10/094-isto-e-arte.html

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode