O REPERTÓRIO do COLONO

12/11/2013 08:34

 

O repertório do colonizado é drasticamente fixo, é repetitivo e é reduzido uma vez instalada  a heteronomia da vontade  e a servidão voluntária. O colonizado possui o direito de repetir “ad nauseam” coisas que ele se imagina.  Contanto que não se realizem na prática, especialmente comprometam a sua heteronomia da vontade, a sua servidão voluntária e  que possam ferir o império do colonizador.  Enquanto isto o colonizador se ocupa em estimular, financiar e implementar  rituais e que ele faz funcionar a semelhança das implacáveis forças eas leis da Natureza. Para esta tarefa  colonizador contrata  mediadores, atravessadores e tuteladores que já  provaram a sua total fidelidade e sua dedicação irrestrita. Uma ruptura epistêmica e estética, nesta circunstância, torna-se mais uma ficção a rodar e a se repetir no imaginário esterilizado do colonizado.

 

O DISCUSO da SERVIDÃO VOLUNTÁRIA (1549)

http://www.culturabrasil.org/zip/boetie.pdf

“Digno de espanto, se bem que vulgaríssimo, e tão doloroso quanto impressionante, é ver milhões de homens a servir, miseravelmente curvados...”

 

SOMOS COLONIZADOS

http://letras.mus.br/dead-fish/116888/

 

COLONIZANDO

http://olhosdosertao.blogspot.com.br/2009/02/pensamento-colonizado-da-midia.html

 

CIDADÃOS e SÚDITOS

http://www.oi.acidi.gov.pt/docs/Revista_8/Migracoes_8web27a34.pdf

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode