MAIÊUTICA

07/05/2014 07:17

MAIÊUTICA

-Devemos um galo a Esculápio!

Esta foi uma das últimas sentenças de Sócrates (470 a.C -399 a.C) perceber o efeito da cicuta sobre seu corpo. Foi sentenciado à morte por perverter a juventude ao fazer com que ela descobrisse em si mesmo a sabedoria de que ela era portadora.

Sócrates, filho de parteira,  percebia que a mãe apenas ajudava a trazer ao mundo a nova geração - da melhor forma que lhe era possível. Convenceu-se que todo ser humano era portador da inteligência e que o papel do mestre era trazer ao mundo esta sabedoria singular e única. Era o que depois se convencionou denominar de MAIÊUTICA. MAIÊUTICA a semelhança do parto da Atenas inteligente nascida da mente de Zeus ainda ao  custo de portentosas dores.

Sócrates usou a sua inteligência e curiosidade até o seu instante supremo. No seu patíbulo  descobria e descrevia aos seus discípulos efeitos da planta da cicuta.  O farmacêutico - que preparara o veneno - lhe descrevera os efeitos letais. Sócrates venerava o médico Esculápio como o deus da medicina.  Fiel às tradições do seu povo - que sacrificava um galo em caso dos efeitos dos seus medicamentos -  ele pediu aos discípulos cumprirem esta promessa:

-Devemos um galo a Esculápio!

http://www.psychotherapie-anettepeter.de/methoden.html

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode