FÁBRICAS de LEIS.

07/08/2013 09:14

 

A era industrial  gerou a separação das competência  integradas do artesanato no qual o mesmo agente fazia o planejamento, a confecção e a apreciação do resultado. Os sistemas de governos - ao adotar o paradigma industrial -  separaram o planejamento, a confecção e a apreciação do resultado. Especificaram as competências deste governo  - na era industrial - como as legislativas, as executivas e as Judiciárias.  Coube ao Legislativo planejar, traçar os projetos e criar Leis que o Executivo coloca no mundo prático. É da competência do Judiciário a apreciação, a avaliação e  o pronunciamento na aplicação governamental prática destas Leis a semelhança do  controle da qualidade no sistema industrial.

O Poder Legislativo especializou-se em “fabricar “ leis que o Poder Executivo necessita acatar ou remeter para a apreciação do Poder Judiciário.

Tanto o Estado como a fábrica são criações humanas, portanto artificiais e distintas da Natureza.

 

DISTINÇÕES entre DIREITO e MORAL

http://jus.com.br/artigos/19376/a-dialetica-entre-direito-e-moral/2

 

As DROGAS diante da LEI nas AMÉRICAS

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/2013/08/1321415-uruguai-rompe-o-molde.shtml

 

A VIDA IMITA a ARTE

http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/?Noticia=504759

 

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode