ESCRAVOS de OSTENTAÇÃO

10/04/2015 05:28

ESCRAVOS para a OSTENTAÇÃO

http://naofoinogrito.blogspot.com.br/2015/04/116-nao-foi-no-grito.html

Uma das manifestações mais abjetas e subliminares da ESCRAVIDÃO é aquela na qual  o dominador transforma homens, mulheres e crianças em objeto de ostentação e para a projeção de seu luxo .

Estas crianças, mulheres e homens não deixam de serem escravas e escravos, por mais  favoráveis sejam as suas condições matérias e melhor sua vida física. 

O romano Lúcio Anneo SÊNECA (4 a.C – 65 d. C.) já percebera (Da tranqüilidade do ânimo, p. 08)[1]  estes escravos de luxo nas casas romanas nas quais:

constrange-me o ânimo quando vejo a aparência de alguns destes pedagogos, esses escravos vestidos com o maior capricho e com mais ouro do que em dia de procissão, este exército resplandecente de servos em  casas nas quais se pisam sobre precisas alfombras, nas quais a riqueza está por todas as partes, os tetos são refulgentes e onde sempre existe esta multidão que acompanham os patrimônios que se dissipam

O núcleo da ESCRAVIDÂO temporária ou perpétua é FAZER os OBJETIVOS do OUTRO.

 

SENECA, Lucio Anneo (4 a.C – 65 d.C) – De la Tanquilidad de Animo – Brasilia: Dominio Publico

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882006000200010

http://it.wikipedia.org/wiki/Lucio_Anneo_Seneca

 

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode