DIREITO de ESQUECER

08/08/2014 05:46

O DIREITO de ESQUECER.

Na época pós-industrial - de super ofertas virtuais e imaginárias - poucos conhecem a si mesmos. Em compensação a criatura humana, desta época, torna-se ÉBRIA de CULTURAS ALHEIAS, perdendo a posiibilidade do AUTO CONHECIMENTO. CULTURAS ALHEIAS que boqueiam, deturpam e alienam completamente a sua intelegência, sua vontade e seus sentimentos. Ao viver e interagir com as super ofertas virtuais e do imaginário da época pós-industrial,esta criatura humana perde os limites de si mesma e do seu próprio repertório. As leis do marketing, propaganda subliminar exigem este esquecimento e a alienação de SI MESMO. Na medida em que - esta criatura -mergulha neste universo virtual perde os seus próprios referenciais intelectiuais, a sua vontade própria e dos seus sentementos. Não conhecendo estes limites e competẽncias torna-se onipotente, onisciente, onipresente e julga-se eterna.

A criatura possui o direito de - não só de escolher - mas o pleno gozo do contraditório. Contraditório ao onisciente, à onipotência, ao onipresente e eternidade que os mediadores, atravessadores e seus pseudo titulares querem impingir à esta criatura humana.

 

O “DIREITO de ESQUECER”....

http://www.lemonde.fr/pixels/article/2014/08/06/wikipedia-censure-par-google_4467560_4408996.html#xtor=RSS-3208

 

MEMÓRIA

http://psicologiadospsicologos.blogspot.com.br/2011/11/resenha-arte-e-ciencia-de-memorizar.html

 

MEMÓRIA de ELEFANTE

http://www.cataniastudio.com/2013/04/inteligencia-e-memoria-de-elefantes/

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode