COLÔNIA e ESCRAVIDÃO

05/10/2014 05:35

ARTE e TABUS COLONIAIS

http://profciriosimon.blogspot.com.br/2014/09/093-isto-e-arte.html

O regime colonial brasileiro foi TIRÂNICO tanto na esfera pública como na particular. Na esfera pública das ARTES proibiu e coibiu na colônia qualquer sombra ao poder monocrático e centralista da metrópole. Destruiu indústrias e recompensava os delatores. Controlava a circulação de informações, pesquisas e registros escritos proibindo o jornal ou a tipografia. Os livros da colônia deviam ser importados da metrópole com a aprovação do bispo e impressos em raras oficinas autorizadas e controladas explicitamente. Na esfera da arquitetura e do urbanismo  permitia construções de particulares confortáveis e aparatosas apenas em Lisboa. Qualquer retrato individual de súdito era vetado.

Assim a memória brasileira colonial é um imenso oco de imagens de pessoas, de residências particulares significativas e pesquisas distintas do padrão colonial.

A História Brasileira deve se contentar com estes vazios da inteligência, vontade e de sentimentos  que circularam durante 300 anos no território brasileiro. Por mais fortes, criativos e poderosos que fossem os sentimentos, a vontade e inteligência,  todos foram remetidos para o mundo da natureza entrópica.

O legado da TIRANIA COLONIAL BRASILEIRA consiste nesta entropia, caos e falta de projeto nacional.

Ler, pesquisar, inventar, criar e ter instituições para estes fins continua TABU no inconsciente coletivo nacional brasileiro. Bastam os EVENTOS ESPALHAFATOSOS por meio dos quais os marqueteiros, atravessadores e mediadores mantém viva a “boa e velha TIRANIA COLONIAL BRASILEIRA”.

Na base desta TIRANIA COLONIAL BRASILEIRA se encontra a HETERONOMIA provocada pela ESCRAVIDÃO de 400 anos. A ESCRAVIDÃO mergulhou a inteligência, a vontade e os sentimentos na heteronomia tanto aquele que foi a sua vítima como quem a usufruiu. A ESCRAVIDÃO  rebrota no presente na falta de medida e na carência moral das vontades, no embotamento do saber que desconhece qualquer de sanção dos seus atos e dos sentimentos públicos e particulares.

 

VOTAR e o PODER ORIGINÁRIO

http://www.poder-originario.com/news/ajustes-entre-compadres/

http://www.prof-cirio-simon.com/blog/

 

O gaúcho Alfredo STORNI (1881-1966)

http://www.guiadosquadrinhos.com/artista/alfredo-storni/4947

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode