BRANQUEAMENTO da RAÇA

24/01/2015 05:53

SEMIÓTICA SOCIAL na IMPRENSA BRASILEIRA.

Para uma leitura  “SEMIÓTICA SOCIAL da IMPRENSA BRASILEIRA” necessário percorrer as edições dos nossos periódicos com o livro de Roland BARTHES na mente, na vontade e no coração.  O resultado desta leitura certamente será estarrecedor se a intenção desta leitura  for a pesquisa objetiva das imagens das etnias e nas secções onde elas são estampadas, circulam e encontram os seus observadores. Chegaremos a conclusão que estarmos longe do Brasil e do Terceiro MILÊNIO.

Numa elementar estatística numérica e qualitativa das COLUNAS SOCIAIS retornamos aos primórdios do Império Brasileiro com os seus projetos do “BRANQUEAMENTO da RAÇA”.  Este quadro certamente irá se inverter nas páginas da “CRÔNICA POLICIAL”.

 Porém ninguém precisa se apressar, estressar ou esperar mudança neste quadro.  Dificilmente o tema “SEMIÓTICA SOCIAL na IMPRENSA BRASILEIRA”  será pautado por ela mesma. Seria um tiro no pé.

A pauta é distorcida intencionalmente em relação efetiva realidade brasileira. Pauta  determinada pelo poder, posição social e financiamento de quem tem a posse, assina e lê um jornal. O jornalista João Marçal evidência no seu livro com o tema e pesquisa do que é a imprensa operária de Porto Alegre. Investiga, relaciona e publica de que era a posse, os assinantes e os leitores destes jornais.   

 

BARTHES, Roland.  Système de la mode. Paris : Seul, 1967. 327p

MARÇAL João Batista A Imprensa Operária do Rio Grande do Sul 1873-1974– Porto Alegre: do Autor – 2004, 288 p. il.

LINGUAGEM HUMANA e SEMIÓTICA

http://pt.wikipedia.org/wiki/Semiótica

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode