A FORÇA dos GRANDES MESTRES.

30/03/2014 07:07

 A FORÇA dos GRANDES MESTRES.

Quanto maior e extenso é o pensamento ou sentimento dos mestres fundamentais da humanidade tanto mais transparece a liberdade que deixam para quem se aproxima deles para deliberar e decidir sobre a sua vida, obras e agir. Muitos deles não deixaram nada escrito de pessoal e são vagos e contraditórios os índices e os dados concretos sobre as suas vidas.

[Jaques Louis DAVID (1748-1825). A MORTE de SÓCRATES  -1787 - Óleo sobre tela 129.5 x 196.2 cm - Museu Metropolitano NY]

Os mediadores e os atravessadores se apropriarem do legado dos mestres tutelam  os seus pensamentos e os seus sentimentos.  Reduzem e encurtam a liberdade conferida pelos grandes mestres.   Nesta tutela recortam, editam e modelam, em cânones e normas, que sacralizam como definitivos e universais. Cânones e normas que  constituem narrativas próprias que impõe a cada seguidor do seu mestre. Não se importam se estes cânones e normas são distintos e contraditórios do pensamento e sentimentos originais do seu mestre. A maioria destas narrativas desencontradas, a respeito do mestre, gerou divisões irreconciliáveis, excomunhões recíprocas e pretextos para lutas simbólicas ou cruentas sem fim. Os mestres fundamentais da humanidade combatiam o sectarismo, as normativas canônicas e qualquer proselitismo forçado. Os prosélitos do mestre- em nome de quem falam e lutam - reacenderam, propagaram e impuseram,  jamais pensou, agiu e ensinou.

 

A MORTE de SÓCRATES por LUIS DAVID

http://artesteves.blogspot.com.br/2010/02/jean-louis-david-morte-de-socrates.html

Contato

Poder Originário

prof.cirio.simon@gmail.com

Travessa PEDRO AMÈRICO nº 28 ap.11
Bairro São João - PORTO ALEGRE -RS
90.550-100

SEM TELEFONE

Pesquisar no site

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode